16/03/2012

De Ponta A Cabeça.



Há muito tempo estou a me descobrir, dia a dia coloco um pedaço do meu quebra-cabeça no lugar certo. Às vezes eu colocava alguns pedaços de ponta cabeça, e acabava bagunçando mais ainda. Era como voltar ao inicio, tudo de novo. Regressar pode, às vezes, te trazer mais experiências. Mas se tu é como eu, faz tu se torturar pela perda de tempo e se julgar mediucre por ter que passar por mais de uma fez em uma rua para perceber a cor de uma casa. Sim, gosto de comparação.
Eu me contradigo em muitas coisas, se alguém se importasse com a minha existencia e parasse para pensar sobre o que digo e escrevo. Mas eu gosto, significa que eu estou aprendendo, pro mal ou pro bem, mas estou aprendendo. Gosto de me contradizer, por pensar e analisar as coisas, buscar o que esta errado em minha cabeça.
Uma coisa, das várias que não entendo, é, por algum motivo, do qual ser desconhecido por mim, é a falsa realidade, implantada, como uma ideia obsessiva nas  mentes das pessoas. A facilidade de ser enganado várias vezes, século a secúlo; geração a geração. As pessoas são enganadas por politicos, igrejas, falsas promessas, sorrisos manipuladores... Se fora uma fez, ou no maximo duas. Pois vale às vezes uma segunda chance. Mas não, é um efeito burrice, efeito idiotice. Um efeito do qual eu já sofri.
Descobri que prefro tatuagem escuras, nada colorido. Descobri que eu não odeio uma coisa totalmente. Mentira, odeio gremista depois de uma derrota do Inter num grenal. Mas logo passa. Eu compreendo a razão de uma pessoa estar triste, eu não entendo porque continuar e não levantar e superar.
Eu me dei por conta, que eu me perco, dentro dos textos dos quais eu escrevo, eu leio, releio e quando vejo, é como no quebra-cabeça de mim, pensamentos misturados. Começo do fim da corda e termino nela. Sem percorrer uma linha reta, o normal. Isso me torna mais estranha, do que já sou. (:
 

Nenhum comentário :

Postar um comentário