22/07/2012

Noite Fria de um Domingo

      [...] e continuou aqueles suspiros profundos, misturado com um sonoro ''ahhhh'' repetitivo.
      Em plena noite fria de um Domingo, bate-me uma tediosa tristeza, que restringe-me de gozar de um mundo todo ao redor, mesmo não enxergando, sabendo apenas que ele está lá, em algum lugar, colorido e sorridente, distinto de mim, que encontro-me neste cenário de cores neutras, reflexo das entranhas bipolares que há dentro de mim.
     

      "[...]Eu não tinha nada a dizer
       E eu me perdi no nada dentro de mim...
       Não sou a única pessoa com essas coisas em mente..
       - Dentro de mim - 
       Todo o vazio que as palavras revelaram
       É a única coisa real que me resta para sentir...
       Simplesmente preso, vazio e sozinho...
      
       Eu quero me curar, eu quero sentir
       O que eu achei que nunca fosse real
       Eu quero deixar ir essa dor que segurei por tanto tempo...
      
       Eu nunca serei nada, até que eu me separe de mim [...]"
      
       Nestes momentos, em que necessito de algo, a música, ela fala por mim, melhor que eu, e deixa o obscuro mais claro... No literal, no momento. 
       Gostaria não sentir-me incapaz de livrar-me de tudo isto. Queria que o chimarrão que me encontro tomando, levasse tudo embora, com o calor de sua água. E se fosse real, desejaria que outro calor, me livra-se de tudo isto, esta noite, tanto mentalmente como fisicamente. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário