08/12/2014

about feelings

Não posso remodelar da forma como gostaria que se encaixasse.
Não posso rebobinar aqueles instantes que ao menos, na minha ingenua percepção, fui significamente, ao menos um pouco, importante.
Parece tolo dizer que não existe explicações, razões de por que ele começou a bater mais forte!
Enganoso é pensar que existe um relógio marcando o tempo certo de quando deve acontecer.
Tão certinho.
Tão surreal!
A vida, ou melhor, coisas na vida, estão num plano metafisico, que idiotamente ficamos nesse circulo procurando no entendimento imperfeito do ser, aquilo que simplesmente não esta ao nosso alcance de compreensão.
Nem tudo é o que queríamos que fosse;
Nem tudo é como parece que ser;
Nem tudo é como dizem que é;
Nem tudo é o que temos certo que é.
Observar de modo estático o que rapidamente se modifica.
Mas como desenvolver essa habilidade de se transmudar?
É só baixar o app?
Ou é com água, areia, tijolos, cimento, e indo quebrando, consertando, quebrando, colocando fitas?
Eu aprendo aceitar o que posso ter, mas gostaria conseguir faze-lo igual por osmose entre a linha difusa entre minha razão racionavelmente consciente e meu coração ingênuo e iludido.



Nenhum comentário :

Postar um comentário