02/07/2015

Oi,
Passei por tua rua. Sim, foi intencional! Queria te ver e através da janela, tal distância de uma contemplação que a primeira e segunda instância parece mais segura do que bater à porta sem ter o que dizer.

Tocaria uma canção se soubesse tocar. Te ofereceria uma viagem pela galáxia se tivesse uma nave. Te oferecia o eu, se ele encaixasse no teu sorriso, em teus lábio, nas curvas da tua liberdade, nas aspirações dos teus desejos e necessidades. Mas esse eu me prende, me cerca em sentimentos que  não consigo controlar, nem moldar e este pouco mergulha em torno do nada  que tenho a oferecer e a ser. Como poderia pedir um único segundo de atenção dos teus olhos que tem tanto à que enxergar no mundo, o mundo que transcende aventuras e descobertas que perante à mim, me tornam uma molécula sem função, estagnada, quase invisível. Não culpo à ti que enxerga além, que desejas além!

That's alright.

Nenhum comentário :

Postar um comentário