20/09/2015

Lágrimas secas e molhadas no rosto
O ontem e o hoje me mostrando o amanhã
Como poderei conter a pressão estourando aqui dentro
Torna-se impossível focar com esse barulho
As noites estão tornando-se ouriços na minha pele
Aquele tremedeira nas pernas esperando os momento
Os momento que nunca chegaram.
Como apertar o botão de proteção?
Já que à beira esta o que resta
Do que não encontra-se destruído, substituído.


Nenhum comentário :

Postar um comentário